Especial OVNI 15 anos – Gears of War (2006)

A Ovni completa 15 anos na venda de jogos e consoles, muitos deles marcantes. E nós continuamos essa série de artigos com Gears of War, lançado em 2006.

Este é o nosso quarto dia da série de artigos publicada em parceria com a Ovni Game Shop, que completa 15 anos no mercado de games e produtos geeks. Dessa vez trataremos sobre 2006, ano de jogos como The Legend of Zelda: Twilight Princess, The Elder Scrolls IV: Oblivion, o belíssimo Okami, Kingdom Hearts 2. Também foi em 2006 que iniciaram-se franquias como Dead Rising, Prey, e Saints Row. Durante o mês de novembro deste ano, foram lançados o PlayStation 3 (11/11) e o Wii (19/11).

Como jogo de 2006, escolhemos um shooter que renovou o gênero nos consoles. Com Gears of War, a Epic conseguiu repetir o sucesso que Halo fez no Xbox original numa nova franquia do seu recente Xbox 360. Gears of War era, na época, o jogo mais bonito do console, que acabara de completar um ano de vida. A diversão, o design de som e o multiplayer inserido no jogo tornava tudo tão incrível quanto o hype criado durante a campanha de marketing durante o lançamento do jogo. Gears era o jogo que todos esperavam em 2006.

Gears of War - Cover - 2006
Capa de Gears of War, lançado 7 de novembro de 2006 para Xbox 360.

Gears of War se passa num período de 36 horas no planeta Sera. O que antes era um planeta humano civilizado com restaurantes na calçada e parques floridos não é mais. A população do planeta não sabia que embaixo de todas as grandes cidades, uma horda dos Locusts se aproximando. Monstros subterrâneos, de tamanho e força sobre-humanas, criaturas temíveis. E em uma ensolarada tarde de Sera, a horda surgiu.

Gears of War - 2006
Bastante focado nas táticas de combate, era comum esconder-se atrás de uma estrutura enquanto aguardava o melhor momento para atacar.

A perda de vidas, mostrada na sequência de abertura do jogo, foi catastrófica. Os soldados da Coalizão dos Governos Ordenados lutaram valentemente, mas falharam. À medida que a batalha foi acabando, um soldado do COG, Marcus Fenix, desafiou ordens superiores para tentar resgatar seu pai. Ele foi capturado e preso. O jogo apresenta-se num cenário 14 anos após o início da guerra. Os Locusts se aproximam da prisão em que Marcus está, mas momentos antes da dominação completa da prisão pelos monstros, um velho amigo de Marcus abre a porta da cela, o dá uma arma e pede que ele se junte à luta.

Ao longo do caminho, passávamos por missões no estilo survival horror, projetadas principalmente para nos assustar. E, eventualmente, lutávamos em campos de batalha grandes e abertos, lutando contra um grande número de Locusts ao mesmo tempo antes de lutar contra o boss. Gears of War é leve na história, mas apresenta uma atmosfera muito imersiva e convincente que te sugere imerge diretamente no planeta Sera.

Gears of War - 2006
A arquitetura de Sera, inspirada na grécia antiga, só tornava mais desolador o cenário de destruição do jogo.

São táticas rápidas. À primeira vista, Gears of War parece um atirador em formato arcade – a ação é rápida, e há muitos inimigos e companheiros movendo-se ao redor do campo de batalha ao mesmo tempo. Mas, ao mesmo tempo, a inteligência artificial é boa o suficiente para realizar manobras de flanqueamento, avanço e recuo, enquanto executa os princípios básicos do combate armado. No momento em que você está escondido atrás de uma árvore escondendo do inimigo enquanto recarrega sua arma é fácil perceber a razão da ideia inicial de Gears ter surgido durante um jogo de paintball. Como tal, Gears of War é uma mistura de um atirador arcade como Halo com uma dose saudável de atirador tático, estilo Rainbow Six. De qualquer forma, foi um título inovador dentro do gênero de shooter, tendo sindo copiado incessantemente desde então.

Gears of War - 2006
Marcus Fenix, protagonista do título.

Há uma tremenda atenção aos detalhes que muitos jogadores provavelmente sequer perceberam, como estátuas de gárgulas no topo de determinado arranha-céu. Nenhuma estrutura parece o mesma e não há ambientes repetitivos. Assim como em Half Life 2, quando você luta em uma cidade, você sente que está lutando em uma cidade. O design de ambiente é maravilhoso, com uma arquitetura inspiradora, com tons gregos e romanos, que fazem você se sentir como se estivesse lutando por algo importante.

Do mesmo modo, o som define um novo padrão. Em dado momento uma música agitada com estilo militar transita para um tema de horror e então volta, sempre ajustando o estilo apropriado para a momento. As vozes dos personagens são urgentes, agitadas e sujas, assim como Marcus e o resto dos soldados da coalisão, entupida de palavrões. Os Locusts estão entre as criaturas mais assustadoras que você já ouviu. Ao longo do jogo, os Locust começam a falar um pouco de inglês, o que torna tudo ainda mais horripilante. O jogo também é extremamente gráfico e não deve ser jogado por quem tem estômago fraco. Eu, por exemplo, nunca vi uma cabeça explodir ou uma motosserra desmembrar alguém pessoalmente (ainda bem!), mas eu sei exatamente como funciona quando acontece em Gears of War, nosso jogo de 2006.


Transparência: Esse conteúdo é patrocinado pela Ovni Game Shop.


Assista abaixo um gameplay de Gears of War